21.5.18

Dia 22 de maio / Terça-feira: bate-papo e sessão de autógrafos dos autores do livro "1968 - Eles só queriam mudar o mundo"


Dia 22 de maio é o dia do lançamento da edição comemorativa do livro 1968 - Eles só queriam mudar o mundo , de Regina Zappa e Ernesto Soto.
Imperdível re-lançamento em edição comemorativa dos 50 anos daquele movimento que agitou e de certa forma mudou o mundo e que foi traduzido/decifrado em forma de livro por esses dois jornalistas.
Vai rolar um bate papo com os autores seguido de uma sessão de autógrafos.
Todo mundo lá na livraria Travessa /Shopping Leblon ( Av. Afrânio de Melo Franco, 290, Loja 205 A).
O evento começa a partir das 19 horas.

Lançamento do "Songbook" de Antonio Adolfo e Tibério Gaspar - Hoje na Livraria Travessa/ Ipanema

Enfim chega às livrarias o "Songbook" de Antonio Adolfo e Tibério Gaspar.
O lançamento vai rolar hoje, a partir das 19 horas na Livraria da Travessa/Ipanema,que fica rua Visconde de Pirajá, 572.
Todos lá!

15.5.18

Antonio Adolfo / São Paulo ("SESC 24 de Maio") na próxima quinta (dia 17 de maio) e na sexta (18 de maio)

Show imperdível de Antonio Adolfo e seu piano em São Paulo no "SESC 24 de Maio".
Vai rolar no dia 17 de maio (quinta-feira) e 18 de maio (sexta-feira).
Acompanham o maestro um quarteto da pesada : Nelson Faria (guitarra, Bruno Aguilar (contrabaixo), Marcelo Martins (sax e flauta) e Erivelton Silva (bateria) .
Mais informações e ingressos no seguinte link : https://goo.gl/hfra3G

15.4.18

Fala sério!?

(Clique na imagem para ampliar e VER melhor. Ah, hoje é dia do desenhista)

8.4.18

Conferências - "As cidades dos Poetas" na ABL / dia 10/4 Felipe Fortuna apresenta sua palestra

No ciclo de conferências "As Cidades dos Poetas", Felipe Fortuna apresenta seu tema "João Cabral:Recife e Sevilha", no dia 10 de abril (terça-feira) a partir das 17,30 horas.
Veja convite abaixo
(Clique na imagem para ampliar e VER melhor)

29.3.18

Cartum da Série História da Arte

(clique na imagem para ampliar e ver melhor)

10.3.18

Charge: encontro de Trump com Kim Jong-un

(clique na imagem para ampliar e ver melhor)

9.3.18

Curso de formação musical "O passo" começa amanhã em SP e no Rio - ainda dá tempo de se inscrever

(Clique na imagem para ampliar e ler melhor)

Do fundo do baú: velha ilustração para Op-Ed

(clique na imagem para ampliar e ver melhor)
Do fundo do baú: ilustração para página de Opinião do old JB, que no New York Times era chamada de "Op-Ed - Page Opposite Editorial" - oposta em termos gráficos e até ideológicos, no caso dos textos publicados nessa página discordarem da opinião do dono do jornal, no caso o NYT.
É bom saber que nos bons tempos o NYT chegou a publicar um livro só com as ilustrações dessa sua página "especial" Teve o título "Art of The Times" e foi editado por Jean- Claude Suarés, um craque também do traço.
Esta minha antiga ilustração, creio que não precisa de legenda nos dias atuais. Bom fim de semana para todos e não façam marola!

4.3.18

O filme "Imagens do Estado Novo - 1937 -1945" estará nas telas de São Paulo, Rio de Janeiro e Brasília no mês de março

Imperdível!!! O documentário "Imagens do Estado Novo - 1937 -1945",(dirigido por Eduardo Escorel e produzido por Claudio Kahns) vai rolar nas telas dos Espaços Itaú de Cinema ( São Paulo/Rio de Janeiro e Brasília) e nas telas do Instituto Moreira Salles de Sampa e do Rio. Aqui vai o convite.
Preste atenção na programação dos dias e horários nas salas de sua cidade.
Acesse o site - link:https://www.imagensdoestadonovo.com.br
(clique na imagem para ampliar e ver melhor)

3.3.18

Charge antiga para tempos atuais

(clique na imagem para ampliar e ver melhor)

27.2.18

Acaba de sair do forno um livro em homenagem ao grande mestre Ziraldo

Tive a felicidade de ser convidado pelo cartunista Edra Amorim para participar de uma homenagem junto com vários bambas do traço ao mestre Ziraldo.
Tal homenagem se concretizou no livro "Ziraldo 85 - Ao Mestre Com Carinho - no Traço de 85 Talentosos Cartunistas", que acaba de ser publicado pela editora Melhoramentos.
Esse livro estará em breve nas boas casas do ramo.
A obra traça um perfil biográfico do mestre Zira, nos seus 85 anos de idade e destaca e demonstra sua imensa contribuição para arte do humor gráfico brasileiro.
O projeto editorial e gráfico é do cartunista caratinguense Edra Amorim, que traz a capa assinada pelo Gê Pinto, prefácio de Zélio Alves Pinto (ambos irmãos do homenageado), apresentação do cartunista/jornalista JAL, Presidente da Associação dos Cartunistas do Brasil e, na contra capa, uma mensagem do Jô Soares ao estimado amigo de longa data.
O livro reúne, nas suas 192 páginas, um registro ilustrado da vida e obra do homenageado, intercaladas por caricaturas do tal time de 85 cartunistas relacionados abaixo:
Abel Costa, Afonso Carlos , Alan Souto Maior, Amorim, Alecrim , Alisson Affonso, Alpino, Amarildo , Andre Barroso, Cerino , André Camargo, Ariel Silva, Aroeira , Eduardo Baptistão, Bira Dantas , Biratan Porto, Brito , Camaleão , Camilo Riani, Chico Caruso, Cláudia Kfouri, Claudio Cláudio Aleixo Rocha, Claudio Duarte, Cláudio Teixeira, Dalcio Machado,Edra , Enderson Santos, Erthal, Evandro Rocha, Fábio Fabio Coutinho, Fernandes , Ferreth , Fraga , Genin , Gervásio Castro Neto, Glen Batoca, Edson Guedes, André Hippertt, Humberto Pessoa, Ique , Ivo Favero, Izânio Façanha, J.Bosco, J.J Fontinele Cartoons, Jack Cartoon, Jal , Paulo Sergio Jindelt, João Bento Jorge Braga, Jorge Inácio, Leite , Lezio Junior, Bruno Liberati, Lucas Leibholz, Manga, Mario Alberto, Maurício de Souza, Mauro Miranda, Silvano Mello, Mig, Miller Almeida, Moises Macedo, Mônica Fuchshuber, Monico Reis Art, Nei Lima, Paulo Branco , Paulo Caruso, Quinho , Rice Araujo, Flavio Rossi, Rui Miranda, António Santos, Sergio Gomes, Seri, Sidney Falcão, Eduardo Simch, Stegun , Suélen Becker, Thiago Lucas, Toscano , Omar Figueroa Turcios, Ulisses Araujo, Luciano Veronezi, William Medeiros e Xavier.
Obrigadão, amigo Edra.
Vida longa ao mestre Ziraldo!!!
(clique nas imagens para ampliar e ver melhor)

26.2.18

22.2.18

Ilustração: "o solo do açougueiro"

Do fundo do baú: ilustração feita para o old JB.
(clique na imagem para ampliar e ver melhor)

21.2.18

19.2.18

17.2.18

Aquarela: "café da manhã da cronista"

(clique na imagem para ampliar e ver melhor)

9.2.18

Mais um cartum (quase uma HQ) sensacional de João Zero

(Clique na imagem para ampliar e ver melhor)

Redes Sociais em cartum

Traço rápido: impossível que alguém não tenha feito esse cartum, ou charge...Mas nem consultei nada, logo que a ideia veio eu fui para o papel com minha canetinha...
É uma homenagem singela ao "precariado", ou seja: nosotros, debajo de la línea del ecuador...
(Clique na imagem para ampliar e ver melhor)

8.2.18

Caricaturas de Jorge Ben Jor e Ed Motta

Do fundo do baú: mini-caricaturas,/Jorge Ben Jor e Ed Motta.
(Clique na imagem para ampliar e ver melhor)

7.2.18

Mais um cartum sensacional de João Zero

(Clique na imagem para ampliar e ver melhor)

6.2.18

Ilustração : Cultura e Promessas

(Clique na imagem para ampliar e ver melhor)

5.2.18

Mais um cartum antenado de João Zero

(Clique na imagem para ampliar e VER melhor)

2.2.18

Novo livro de Mouzar Benedito - "O mistério do obelisco" vai ser lançado na segunda-feira, dia 5

O jornalista e escritor Mouzar Benedito, vai lançar no dia 5 de fevereiro (segunda-feira) o livro "O mistério do obelisco".
O evento vai começar a partir das 19h, no Empanadas Bar - rua Wisard, 489 - Vila Madalena.
O livro tem 240 páginas e, no lançamento, custará apenas R$ 30,00.
(Clique na imagem para ampliar e VER melhor)

1.2.18

Aquarela "Gato no piano"

Do fundo do baú: ilustração de crônica
(Clique na imagem para ampliar e VER melhor)

30.1.18

Mais um cartum sensacional de João Zero

(Clique na imagem para ampliar e VER melhor)

Ilustração sobre contos infantis

(Clique na imagem para ampliar e VER melhor)

29.1.18

Portela

Do fundo do baú: ilustração que tem por tema a Portela.
(Clique na imagem para ampliar e VER melhor)

26.1.18

Mais uma charge sensacional de João Zero

(Clique na imagem para ampliar e VER melhor)

Aumento do IPTU no Rio de Janeiro, Fevereiro e Março...Alô, alô Realengo...aquele...(bem, deixa pra lá)

Do fundo do baú: charge feita para o old JB. Como se pode ver, o assunto é antigo, mas a dor no bolso dói e só piora.
(Clique na imagem para ampliar e VER melhor)

25.1.18

ESSEPÊ, poema recauchutado em homenagem à cidade de São Paulo


Vale a pena ver de novo?- Ilustração para um cometimento poético deste que vos fala, intitulado Essepê ( na comemoração do aniversário da cidade na qual nasci em meados do século passado).
É bom salientar que esse cometimento foi publicado aqui neste blog, antes do talentoso compositor Criolo fazer o tremendo sucesso com sua magnífica música que se chama "Não existe amor em Essepê".
Essepê como se pode ver apesar de sua "concretude", "concretiticade" sempre esteve no ar. Ideia que pertence a todos e a ninguém.
Lá vai o cometimento poético (prepare-se que vai ser textão. Apenas uma observação inicial: esse cometimento errático revisitado, agora foi recauchutado. Pois é, a cada ano novos elementos a ele são acrescentados ou destruídos, assim como acontece com a cidade que homenageia )

ESSEPÊ
São Paulo, cidade de
São Paulo, essepê
Esse pé quarentão que dói no fim do dia/
depois de milhares de semáforos em transe...
Primeira geração digital e pré-história se amando na 23 de maio engarrafadas/ entre muros acinzentados "prefeitamente"
Doentes de seu tempo
Cemitério do Araçá guarda meus mortos, benza Deus!
Cidade, metrópole, megalópole,
Abrigo e túmulo de migrantes polifônicos
Mistura terminal e casa modernista/
Presídio que vira praça
Praça que vira presídio...
Paradoxos ambulantes, anacrônicos xerocados. Homens-sanduíche gritam:- Compro ouro!
Massas e Iphones, café expresso na galeria Olido
Avenida Paulista, rolex que brilha sob a chuva ácida
E atrai o olho do gatuno
Cine Vera virou casa de forró, mano!
Talvez hoje nem isso
Mendigos embaixo do viaduto celebram com CO² o sucesso do novo plano urbanístico
Miséria high tech?
Luz, Tiradentes... Onde andará a menina linda da avenida Água Fria?
Cidade mãe com nome de santo – cidade travesti ou...
Medéia ensandecida que mata seus filhos com hamburgers
Aristocracia de mais de 450 anos em banheiras J'Accuse!
Zola nunca te imaginaria assim tão germinal
Burguesia de Caras maquiadas, sorry dentes no programa de TV
Periferia que almeja, deseja,
Fossa séptica ao ar livre, poço artesiano onde falta cano,
Sonho do precariado indo pro brejo eletrônico
Well then what can a poor boy do
Except to sing for a rock 'n' roll band
Serra da Cantareira, Horto Florestal, domingueira subalterna
Operário dormindo no vagão, 19 horas em ponto/
Pichação no monumento das Bandeiras: – Empurra que vai!
Movimento CON CRE TO / OB SO LET'S GO
Reconhecimento de gêmeos grafiteiros globalizados
London Calling... motoboys em ação, zig-zag... movimento abstrato desenha o nada consta no poupatempo
Cada um por sí e Deus contra!
Cadê o chá das 5 do Mappin?
e a Barão de ItaTapeteNinja? – Quero um calçado de cromo alemão! E um terno da Erontex, num vai?
Uma anta no vale do Anhangabaú pergunta por Macunaíma...
– Cadê o coração dos outros?
No Cinema da boca do lixo, o Bandido da luz vermelha come um churrasco grego/ É O grande momento de São Paulo S.A
Onde antigamente tinha erva-mate e hoje corre um rio sufocado que passa
pelo Buraco do Adhemar!
Viaduto Santa Efigênia dourado? São Bento corado? Angelus e o sino tocando. O papa benze benhê, a Virgem levita. Bora pro curso noturno. Num dorme não rapaz!
Meio dia, macacada! Uma hora para o almoço, cartão de ponto... se chega atrasado o relógio do seu Dimas desconta seu ponto, no holerite vem o desconto
Mário, arrebenta tua lira! Arlequinal, arlequinal... escarra no Minhocão tua última quimera
Desvia as águas espraiadas para o Tietê, marginal!
Paca, tatu, cotia não... Paca, tatu, cotia não!
Contempla as pontes estaiadas às dúzias
Perderam o corpo do meu nonno Gaetano na revolução de 32!
Punks e Emos fora de lugar, Tarsila cadê meu "Estadão"?
Tá com o Lobato lá no Sítio!
Estatuto do coração, Raízes do Brasil, Rua Cuba, anime, mangá
– Mano me dá uma mano, che!
Bolivianos costuram o bom e o mau retiro
Guevara se perdeu na mata hermano, ahora ninguém é de ninguém na vida todo passa
Orientais ali habitaram – gentrificaram. A verdade está lá fora
O Torá, onde está, amici miei?...
Lá sei eu! Eu não sou daqui, marinheiro só, tô de passagem "brimo"
Espanca o cara meus! Mói os ossos do tapuia , depois joga no Museu do Ipiranga,
Muita higiene social
Proclama a independência! /
Faz uma tatuagem
E o perito que não chega!
Arigatô, Sharihotsu!
Cidade provisória, casas de pedra só em Santos!
Tudo a ver na Sloper, Dalsu, Fashion Week, Bienal, Vão Central Anhembi, Galerias, Shopping Centers/
Rua Alasca? Ê lasquera!
– Nada vejo, a não ser a neblina, vou bater o côco...
Crack!
Boa Vista, Largo São Francisco, Ladeira da Memória
Cidade fantasmagórica, lume móbile na cracolândia
Teatro Municipal leva aquela ópera que você gosta, oh Core 'ngrato! Que barafunda na Barra Funda!
O tenor canta a soprano...o rei da vela pede smoke
Arquitetura em delírio tropical...Copam e Morumbi,
FAU, Masp, cadeiras de Lina Bo na fábrica da Pompeia
Ladrões de Picasso e Portinari correm para o Embu, afinal é das Artes
E eu com isso, Embu Guaçú!?
Pizzas e sábados todos iguais... Padaria cheia com roleta russa
Casa Verde , Mandaqui, manda ali... Mercadão, mortadela!
Me dá um bauru, mas sem picles!
E aqueles ojos verdes? Eu os comeria "a vinagrete".
Chaminé sozinha em Santana observa um templo sectário
Que mais parece um hangar interplanetário
fiéis às pencas desfilam suas crenças
Enquanto padre en-canta na TV
Mooca imortal do "moleque travesso", rua dos Italianos...
Vila Galvão, Trem das Onze/ Arnesto nos convidou prum samba, ele mora no Brás/
Nóis fumo e não encontremo ninguém...
O Bexiga canta numa cantina aquela cançoneta Funiculi Funicula
Pão quentinho, inigualável, macarronada da mamma
Homenagem aos mortos do massacre da Armênia ao lado do Tamanduá-teí
Baladas, xavecos, playboys, hiphop...
Garotas programadas na Augusta exageram os corpos por baixo do cetim e o movimento perpétuo dos seus lambris convidam o solitário para uma aventura paga em dólares
Na Aurora, sonolentas mariposas sacodem suas asas na luz vermelha dos inferninhos,
Eu as vi de manhã, bolsinhas no ombro, olheiras de uma longa noite e eu a caminho do meu longo dia
– Manda um "Fogo Paulista" goela abaixo e esquece...
Meu pai remando no Tietê. Sai daí, ô véio!
Na Ponte das Bandeiras nós vamos pegar um peixe!
Me paga um rabo-de-galo?
Um fantasma exibicionista abre o casaco em frente ao Dante, melhor seria no Belas Artes
Nos subterrâneos da Consolação o Primo Basílio conversa com Elias Canetti , noutro lado da rua no Riviera, o desbunde come solto
Enquanto na Baixada do Glicério, no Paulistano da Glória homens negros elegantes esquentam os tamborins, Vinicius se engana redonda-mente - o samba ainda pulsa
Liberdade e Paraíso viraram estações, meu Deus, onde está a Sé nisso tudo?
Marco Zero da civilização! Capital monopolista, pirâmide da indústria, topo panóptico da América Latina!
Borba Gato tá se achando!
Cidade sem outdoors... tem cimento no meu capuccino!
Helicópteros levam a nova classe
por cima dos edifícios e antenas
captam o som da nova era: Não é o Som de Cristal. – Esse "já era!" – Qual a cotação da Bolsa de Valores, Mr. J R ? Te liga no Mercado Futuro, tá ligado?
Ruído... – Desce um Pignatari!...Com gelo ou caubói?
– Me serve um "Baião de dois"!...
Artigo do professor da USP explica o nacional-popular
A Gazeta é esportiva... escadarias/ Cásper Líbero
Ao fundo ouço um gol... – Foi do Curintia ou do Parmera?... – Foi do Sumpaulo?
– Não, foi do Juventus... da rua Bariri. Você se alembra? É rua Javari, seu stronzo!
A mardita pinga que me atrapaia/
Veloz passa a noite e um novo sol nascerá violeta
não atrás de uma nuvem cigana,
Milhões de carros como gafanhotos virão para o apocalipse diário do ABC
E novos baianos te curtirão numa boa/
Na Vila Madalena...
...A espanhola perdeu o gato, seo Rubinato!
Praça da Res-púbica abrigava patinhos
Ma che cazzo de mania essa de pato, bambini?
A do Patriarca é dos patrões... fascismus architetonicus no Anhanga-baú da felicidade
Cavo e no fundo do quintal, acho um cachorro morto,
É um lobo? Não pazzo, seu pai enterrou o pobre e jogou no bicho/
E esse livro do Engels embaixo das tábuas do assoalho? Isso é conto da carochinha...Vire a página! – Quem hoje quer saber a história da Família e da Propriedade Privada? Sem essa...
Esqueci de chorar nos ladrilhos da rua Barão de Limeira
Lá passei minha adolescência. Quando fiz 18 anos me mandei pra São Miguel Paulista...
Fui ser químico, zio Vincenzino... encher de mata-baratas latas de aerosol. Mas isso foi em Santo Amaro... fazia um frrrrio!!! Como tem santo nessa terra de Piratininga!
– Matou alguma barata figlio mio? – Necas, mas nunca mais peguei pulga. Kafka aqui não ia se dar bem. – Ciao bambino, ciao...
Onde é a saída, tiozinho?
– Pega a marginal Pinheiros e dobra à direita, sempre à direita...
– Me espere! Que um dia eu não volto, Voltolino!...

(Escrito em 31/5/2008 e reescrito em 2018)

21.1.18

Botando a saúde em dia - Curso muito útil começa em março

Um curso - uma prática, para manter a saúde - a base ( a prevenção) para qualquer coisa que se pensa em fazer na vida.
Leia com atenção.
(Clique na imagem para ampliar e LER melhor)

16.1.18

Cartunzinho de Tatoo

Do fundo do baú: cartunzinho falando de tatuagem como obra de arte narrativa - no caso, com visitação em museu.
(Clique na imagem para ampliar e VER melhor)

12.1.18

Ilustração "Mãe Coragem"

Do fundo do baú: Ilustração feita para uma matéria que insiste em fugir da memória. Mas sempre a considerei a minha representação da Mãe Coragem, ou se quiserem a "Mutter Courage und ihre Kinder"
(celebrada por Bertolt Brecht (1898 - 1956)
Nessa época eu gostava de imaginar murais
(Clique na imagem para ampliar e VER melhor)