4.10.18

Dica do Gerdal: Palavras e músicas de Baden Powell

(Foto: João Poppe)
"No estrangeiro, não dá pra ganhar grana. As telefônicas capam tudo, e, realmente, acho que saudade não tem preço. E ouvir a pessoa é muito importante. Lembra quando a gente falou uma hora e meia de Paris para a sua casa? É verdade, neguinho. O telefone é um esporte muito mais caro que uísque. Mas só faz bem ao coração. Ouvir os amigos quando bate uma fossa ...
Em Paris, pintou um francês parado na nossa música, o Pierre Barouh. Bonitão e influente em certas áreas femininas, pôs-me em contato com madame Barclay, que disputava uma gravadora com seu marido, Eddie Barclay. Os dois me queriam, e fiquei na de leilão. O fato é que acabei indo aonde alguns acabam: o Olympia. Falavam-me da sua importância, mas a minha grande preocupação era matar a fome, que já era preta. E, com um fogareiro no quarto para ajeitar um rango, pintou uma feia. Na véspera da estreia, a água muito quente de dois ovos cozidos caiu em minhas mãos. E, com uma delas enfaixada, estreei. Oito cortinas, oito vezes bis. Bem, aí tudo fica mais fácil. Contratos pra lá, pra cá, contratos para tocar na boate Feijoada. Nela, fiquei dois anos! Era o meu ponto de encontro, de contatos e de contratos. Bilboquet, Salle Pleyel, eu sempre ataquei nessa diferente. Dava concertos e metia samba de montão. O pessoal até hoje curte essa. Então, meus três meses previstos renderam dois anos. Nada antes programado. As coisas vão acontecendo ... Hoje sou muito amigo não só dos empresários, como também do povo. Aprontei muitas por lá. Fiquei famoso ...   A Alemanha foi uma conquista posterior. Lá, caí logo na boca do leão. Berlim e Stuttgart são cidades difíceis. O público é quentíssimo, superinformado musicalmente. Quando eles não gostam de um espetáculo, não tem essa de vaia, não. Eles simplesmente saem da sala. No Philharmonic Hall, acho que é a maior casa de concertos do mundo, eu encarei o público, em 1971. O espetáculo, que teria duração de hora e meia, foi prorrogado - no peito - para três horas e meia. E aquilo me consagrou. Ainda em Berlim, participei do Festival de Jazz. No dia dos guitarristas, lá estavam Barney Kessel, Charlie Byrd, Joe Pass e outros, os maiores do mundo. Aí, foi um "acaba". Não deixei pra ninguém Eu estava louco ...Continuo com bom campo de trabalho, porque toco clássico e popular com relativa desenvoltura. E os homens gostam da nossa música. Só quem não gosta da nossa música são os brasileiros ...
A bossa  nova era algo sólido. Acrescentou à nossa música harmonias ricas. Mas veio essa mania de derrubar estruturas e aí fica perigoso. Não se pode demolir uma casa sem saber onde está a viga mestra. Ela acaba caindo na sua própria cabeça. Isso não invalida artistas isolados, como o Milton Nascimento, que faz o dele e muito bem. Falo num todo, num movimento que a tropicália destruiu  e até hoje não colocou nada no lugar ...
Pesquisa? Certa vez, chamei o Guerra-Peixe para fazer um arranjo para uma "Bourrée" de Bach, transportá-la para um quarteto de cordas. Transcreveu para violão uma parte de guitarra. Ao ler, a parte, Guerra afirmou: "Não conheço a obra, mas esse compasso está errado. Bach jamais escreveria assim esse tipo de acorde. E consertou. Quando fui verificar no original (a parte de violino), o Guerra estava certo. Não há dúvida que ele é um pesquisador de Bach....
Inspiração existe claro, mas eu morro de rir quando alguém explica como faz uma música. Pra mim, música não tem hora, lugar ou explicação. Defendo uma tese meio louca de que ninguém faz música. Elas estão aí no ar, e há quem tenha o dom de captá-las. Comigo a coisa chega pronta. Fico até assustado. Mas creio que a sensibilidade da gente é que rege tudo. Daí você estar numa fossa e compor algo alegre. Ás vezes, ocorre o contrário. Para onde estiver a direção da sensibilidade estará o resultado de uma canção. Uma coisa assim mediúnica ...
Quando me perguntam se eu  mudei de estilo, morro de rir. Tudo que crio é fundamentalmente brasileiro. E se a gente faz o que está no sangue, está fazendo certo. Sai tudo direito ...
Tenho remorso das músicas perdidas entre porres e mudanças. Durante um porre, fiz "Psicose", coisa muito linda. Toda tarde, vou pra varanda, armo a minha arapuca, mas o passarinho nunca mais voltou. Tenho 720 músicas compostas e, acredite, essa está faltando." .     

Pós-escrito: a) acima, transcrição de partes de entrevista concedida por Baden Powell a Ronaldo Bôscoli, letrista bossa-novista e repórter da revista "Manchete" - edição de 3 de março de 1979; b) nos "links" abaixo, a presença autoral de Baden, por ele mesmo (com exceção do último): "Igarapé"; "Violão Vadio" (letra de Paulo César Pinheiro); "Tempo Feliz" (letra de Vinicius de Moraes); "Samba Triste" (letra de Billy Blanco), com Lúcio Alves. A foto de Baden é de João Poppe, feita para a referida matéria.
https://www.youtube.com/watch?v=cDR09xHRofs ("Igarapé")

https://www.youtube.com/watch?v=IBxl0gSa5vU
("Violão Vadio")

 https://www.youtube.com/watch?v=3dFOhMaAwKs ("Tempo Feliz")

 https://www.youtube.com/watch?v=xtcgAKw-OAs ("Samba Triste")




2.10.18

Morre uma lenda da caricatura do mundo: Sábat

Hoje esse blog está de luto.
Acabo de saber, ao chegar da rua, que hoje, dia 2 de outubro morreu o imenso artista uruguaio-argentino Hermenegildo Sábat.
Ele fazia de tudo no campo das artes - caricatura, ilustração, pintura...era um dos grandes homens desse planetinha azul perdido no Universo.
Sábat tinha 85 anos, nasceu em Montevideo em 23 de junio de 1933.
Aqui vão sua foto (clicada por Mario Marotta), sua assinatura escaneada de um e seus desenhos, duas caricaturas que fez do grande escritor argentino Jorge Luis Borges (esse material foi retirado do livro "Quem é Sábat?" publicado pela editora Paz&Terra em 1997 que traz um apanhado muito bem cuidado de diversas facetas de sua obra magnífica).
Segue junto também uma auto caricatura de Sábat compartilhada de um post de meu querido amigo Julio Lubetkin, um valioso divulgador das artes gráficas e do humor planetário.
Viva Sábat!

Chargezinha: Astronauta esperto

(Clique na imagem para ampliar e ver melhor)

1.10.18

Dicas do Gerdal: Thereza Moraes e Haroldo Goldfarb em Copacabana

Atração interessante, nesta quarta, no caloroso Biscuí, com a ótima, meio "elizethiana", Thereza Moraes e sua bela voz, acompanhada ao teclado pelo amigo Haroldo Goldfarb...
Boa semana a todos! Grato pela atenção. Abraços musicais.

Abaixo, ela e o tecladista Flávio Coppola em "link" ilustrativo:

https://www.youtube.com/watch?v=llB66E-_0mg ("Doce de Coco", de Jacob do Bandolim e Hermínio Bello de Carvalho)

28.9.18

E viva nosso mestre dos mestres Ziraldo


Que o nosso mestre dos mestres Ziraldo se recupere logo! Temos a sorte de ter um artista multi talentoso como ele, um orgulho para o Brasil. Viva o mestre Zira!

27.9.18

Dicas do Gerdal:RENÉ BITTENCOURT

(Voltamos a publicar a partir de hoje as dicas do nosso querido amigo Gerdal)


Carioca insular, nascido em Paquetá, bastou a René Bittencourt (1907-1979) a canção “Sertaneja”, lançada em 1939 por Orlando Silva, para que se eternizasse no panteão autoral da nossa música popular. Embora tivesse outras de lavra própria - como “Nono Mandamento” (parceria de Raul Sampaio), por Cauby Peixoto, e “Não Há Mulheres Iguais”, por Dircinha Batista - acolhidas pelo aplauso popular, foi, sem dúvida, em “Sertaneja” que mais cintilou o sentido criativo da atividade profissional de René. Ele, que começou como animador de atrações circenses e teatrais e teve, em sua primeira composição, “Felicidade”, a companhia de Noel Rosa, também se fez conhecer pelo exercício jornalístico. Passando pela redação de vários periódicos, teve longa e destacada permanência, por 25 anos, na “Revista do Rádio”, em cujas páginas, ora crítico, ora jocoso, como titular da seção Feira de Amostras, focalizava em notas os bastidores artísticos dos anos 40, 50 e 60.

Pós-escrito: a) nos “links” abaixo, René Bittencourt por três composições que assinou: “Senhor da Floresta”, com Maria Bethania – gravação original de Augusto Calheiros; “Sertaneja”, por Orlando Silva; “Canção da Criança”, com Carequinha - parceiro de René, Francisco Alves gravou a também sua “Canção da Criança” pouco antes de falecer em acidente automobilístico, a qual teve lançamento póstumo com coro das crianças da Casa de Lázaro, instituição beneficiada com os rendimentos da música.
(Foto do post: capa do “Boletim da Sbacem” - edição de fevereiro e março de 1965).
https://www.youtube.com/watch?v=Niuhcp5NIIA (“Senhor da Floresta”)
https://www.youtube.com/watch?v=Vm7cMZSkhOY (“Sertaneja”)
https://www.youtube.com/watch?v=fQjZ14H1mjk (“Canção da Criança”)

20.8.18

Workshop "Autonomia e Saúde" em Itatiaia

Vai rolar um curso - workshop (do dia 14 ao dia 16 de setembro) sobre Autonomia e Saúde na Fazenda da Serra em Itatiaia.
(Clique no flyer para ampliar e ler melhor)

14.8.18

Retrato de Antonio Callado

Do fundo do baú: retrato do jornalista e escritor Antonio Callado ((1917 - 1997). Autor de um dos maiores romances da língua portuguesa : Quarup
Técnica: pincel
(Clique na imagem para ampliar e ver melhor)

13.8.18

FELIX KAPUTU, DA REPUBLICA DEMOCRÁTICA DO CONGO NO CCBB- Rio

O pensador Felix Kaputu, da República Democrática do Congo fará no dia 15 de agosto, a partir das 18h30,uma palestra no CCBB-Rio. O tema de sua reflexão tem o título de "As quatro latitudes do Congo: África, Europa, Ásia e Américas".
Moderadora: Carolina Moulin
(Segue aqui o flyer, clique nele para ampliar e ler melhor)

9.8.18

Somzaço na Biblioteca Mário de Andrade nessa sexta feira dia 10 / Lamérica

(clique no flyer para ampliar e ver melhor)

Meu amigo , o músico (violonista, guitarra espanhola etc e tal) Emiliano Castro me enviou o seguinte convite:
"Amigos do bom som e das boas estradas, amanhã, 6a feira às 19h, o Lamérica vai viajar pelo projeto Mochilão Musical na Mário, no lindo auditório da Biblioteca Mário de Andrade !

Diz que é em São Paulo mesmo, mas tá dando uma sensação de estrada transcontinental... de novos amigos que se abraçam em espanhol... Sei lá.

Pinta lá pra conferir!"
Daqui do Rio, desejo todo sucesso!

4.8.18

A artista plástica Adriana Maciel expõe em Sampa a partir do dia dia 11 de agosto


(clique na imagem para ampliar e ver melhor)
/
Exposição imperdível: LOCUS - pinturas de Adriana Maciel 
Galeria Flávio de Carvalho - Funarte/SP Abertura: 11 de agosto, sábado, às 15h, com visita guiada e intérprete de Libras

Horário de funcionamento da Funarte: aberto das segundas às sextas, das 10h às 18h, e aos sábados e domingos, das 10h às 21h.
Endereço: Alameda Nothmann, 1058, Campos Elíseos- São Paulo.
Informações:(11) 3662-5177 | funartesp@gmail.com. 
Entrada franca


31.7.18

Charge sobre desemprego estrutural...rir para não chorar!

Traço rápido: uma chargezinha safada entre a produção de camisetas com caricaturas literárias, os frilas e a RPG... Segue o baile...

(clique na imagem para ampliar e ver melhor)

22.7.18

Pranchas com pinturas para o Álbum "Antonio Adolfo - Encontros - Orquestra Atlantica"

Aqui vão as pranchas com as pinturas, antes de se transformarem na ilustração para a capa do novo álbum de Antonio Adolfo "Antonio Adolfo - Encontros - Orquestra Atlantica"(lançado nas "estranjas"nesse mês de julho e disponível em todas as plataformas: Amazon, Spotify, ITunes, CDBaby, Google Play, Deezer, Apple Music, Youtube… - com lançamento do CD previsto para setembro no Brasil)
A gente torce para que seja acompanhada por um show…Rezemos!
Nesse trabalho de pintura, percebi como é difícil arrancar alguma expressão do abstrato, o mínimo vacilo na pincelada e tudo desanda e você destrói aquilo que fez e torna a trabalhar em busca de uma nova construção do efeito que está em algum lugar muito desconhecido e nessa luta a gente percebe que está pelejando com a gente mesmo. Segue o baile...
(Clique para ampliar as imagens)

11.7.18

Novo álbum de Antonio Adolfo num oceano musical

EDIÇÃO EXTRAORDINÁRIA:
Saiu do forno hoje nas "estranjas" o novo álbum de Antonio Adolfo , "Antonio Adolfo - Encontros - Orquesta Atlantica". Esse trabalho será lançado aqui no Brasil em agosto.
Esse foi um dos projetos que tive o prazer e a honra de participar.
Fiz as pinturas que ilustram essa obra, que contou com o auxílio luxuoso da designer Julia Liberati, que se encarregou do trabalho de construir a arte gráfica.
O CD já está disponível na Amazon, ITunes e CDbaby.
Aqui vai uma visão geral do álbum na qual o grande maestro se encontra com uma maravilhosa orquestra num oceano
musical…Segue o baile...

4.6.18

Palestras no CCBB em julho: "A palavra fora do lugar: Escritores refugiados e em risco"

Começa no CCBB (Biblioteca) um ciclo de Palestras cujo tema é A palavra fora do lugar: Escritores refugiados e em risco
Com curadoria de Clarisse Fukelman, o evento começa no dia 13 de junho, às 19 horas, com reflexão de Atiq Rahimi que apresentará seu tema: Na dobra da língua: Nostalgia, errância, guerra e liberdade. Moderador Michel Gherman.
No dia 4 de julho, a partir das 18h30, Carola Saavedra e Julián Fuks apresentam o tema Reescrever o não escrito: Memórias e ausências [Chile, Argentina e Brasil] Moderadora: Vera Follain de Figueiredo.
No dia 15 de agosto, a partir das 18h30, Felix Kaputu apresenta seu tema: As quatro latitudes do Congo :África, Europa, Ásia e Américas Moderadora: Carolina Moulin.
No dia 29 de agosto, a partir das 18h30, Claudio de Oliveira da Silva e Marcos Gleizer apresentam o tema Entre o afeto e a vida nua: Percursos de Baruch Spinoza e Georgio Agamben .Moderador: Pedro Duarte de Andrade.
No dia 12 de setembro Terézia Mora apresenta o tema: Sem chão e sem palavras: Não há paisagem sem pouso. Moderador: Marcelo Backes.
Quer saber mais sobre o evento: visite a página no Facebook e curta/ link: https://www.facebook.com/cfukelman/









29.5.18

Dia 30 lançamento do livro "Os Jardins da Casa de Deus" ao som de blues da melhor qualidade

(Clique na imagem para ampliar e VER melhor)

O escritor (e médico cirurgião) Marcos Giansante lança seu livro Os jardins da Casa de Deus no dia 30 de maio (quarta-feira), a partir das 19 horas.
Ao mesmo tempo em que rolar a leitura de trechos do livro vai rolar uma jam-session de blues compostos por Emiliano Castro, especialmente para a ocasião.
O romance é ambientado na 1a metade do Século XX, num vilarejo às margens do Mississipi, sul dos Estados Unidos.
Em conversas entre o autor do livro e o compositor e músico Emiliano Castro, foi crescendo o projeto de criar "uma música" que tivesse relação com o tema do livro e daí surgiu o OPUS BLUES.
OPUS BLUES é uma espécie de suite de canções inspiradas nos vários sentimentos que latejam no romance de Giansante.
O evento vai rolar no anfiteatro do Hospital São Luiz - Unidade Anália Franco - Rua Francisco Marengo nº 1312, São Paulo. A entrada é risonha e franca.
Ficha técnica:
Na parte musical do evento se apresenta o seguinte quarteto vocal:
Lenna Bahule
Bukassa Kabengele
Julio Moura
Reginaldo 16
A Leitura dramática será feita por Ricardo Rodrigues
As Composições, os arranjos, a guitarra e a direção são de Emiliano Castro
Luz: Miló Martins
Som: André Salmerón
Registro em vídeo: Rogério Vieira
Idealização e realização: Marcos Giansante

21.5.18

Dia 22 de maio / Terça-feira: bate-papo e sessão de autógrafos dos autores do livro "1968 - Eles só queriam mudar o mundo"


Dia 22 de maio é o dia do lançamento da edição comemorativa do livro 1968 - Eles só queriam mudar o mundo , de Regina Zappa e Ernesto Soto.
Imperdível re-lançamento em edição comemorativa dos 50 anos daquele movimento que agitou e de certa forma mudou o mundo e que foi traduzido/decifrado em forma de livro por esses dois jornalistas.
Vai rolar um bate papo com os autores seguido de uma sessão de autógrafos.
Todo mundo lá na livraria Travessa /Shopping Leblon ( Av. Afrânio de Melo Franco, 290, Loja 205 A).
O evento começa a partir das 19 horas.

Lançamento do "Songbook" de Antonio Adolfo e Tibério Gaspar - Hoje na Livraria Travessa/ Ipanema

Enfim chega às livrarias o "Songbook" de Antonio Adolfo e Tibério Gaspar.
O lançamento vai rolar hoje, a partir das 19 horas na Livraria da Travessa/Ipanema,que fica rua Visconde de Pirajá, 572.
Todos lá!

15.5.18

Antonio Adolfo / São Paulo ("SESC 24 de Maio") na próxima quinta (dia 17 de maio) e na sexta (18 de maio)

Show imperdível de Antonio Adolfo e seu piano em São Paulo no "SESC 24 de Maio".
Vai rolar no dia 17 de maio (quinta-feira) e 18 de maio (sexta-feira).
Acompanham o maestro um quarteto da pesada : Nelson Faria (guitarra, Bruno Aguilar (contrabaixo), Marcelo Martins (sax e flauta) e Erivelton Silva (bateria) .
Mais informações e ingressos no seguinte link : https://goo.gl/hfra3G

15.4.18

Fala sério!?

(Clique na imagem para ampliar e VER melhor. Ah, hoje é dia do desenhista)

8.4.18

Conferências - "As cidades dos Poetas" na ABL / dia 10/4 Felipe Fortuna apresenta sua palestra

No ciclo de conferências "As Cidades dos Poetas", Felipe Fortuna apresenta seu tema "João Cabral:Recife e Sevilha", no dia 10 de abril (terça-feira) a partir das 17,30 horas.
Veja convite abaixo
(Clique na imagem para ampliar e VER melhor)

29.3.18

Cartum da Série História da Arte

(clique na imagem para ampliar e ver melhor)

10.3.18

Charge: encontro de Trump com Kim Jong-un

(clique na imagem para ampliar e ver melhor)

9.3.18

Curso de formação musical "O passo" começa amanhã em SP e no Rio - ainda dá tempo de se inscrever

(Clique na imagem para ampliar e ler melhor)

Do fundo do baú: velha ilustração para Op-Ed

(clique na imagem para ampliar e ver melhor)
Do fundo do baú: ilustração para página de Opinião do old JB, que no New York Times era chamada de "Op-Ed - Page Opposite Editorial" - oposta em termos gráficos e até ideológicos, no caso dos textos publicados nessa página discordarem da opinião do dono do jornal, no caso o NYT.
É bom saber que nos bons tempos o NYT chegou a publicar um livro só com as ilustrações dessa sua página "especial" Teve o título "Art of The Times" e foi editado por Jean- Claude Suarés, um craque também do traço.
Esta minha antiga ilustração, creio que não precisa de legenda nos dias atuais. Bom fim de semana para todos e não façam marola!

4.3.18

O filme "Imagens do Estado Novo - 1937 -1945" estará nas telas de São Paulo, Rio de Janeiro e Brasília no mês de março

Imperdível!!! O documentário "Imagens do Estado Novo - 1937 -1945",(dirigido por Eduardo Escorel e produzido por Claudio Kahns) vai rolar nas telas dos Espaços Itaú de Cinema ( São Paulo/Rio de Janeiro e Brasília) e nas telas do Instituto Moreira Salles de Sampa e do Rio. Aqui vai o convite.
Preste atenção na programação dos dias e horários nas salas de sua cidade.
Acesse o site - link:https://www.imagensdoestadonovo.com.br
(clique na imagem para ampliar e ver melhor)

3.3.18

Charge antiga para tempos atuais

(clique na imagem para ampliar e ver melhor)

27.2.18

Acaba de sair do forno um livro em homenagem ao grande mestre Ziraldo

Tive a felicidade de ser convidado pelo cartunista Edra Amorim para participar de uma homenagem junto com vários bambas do traço ao mestre Ziraldo.
Tal homenagem se concretizou no livro "Ziraldo 85 - Ao Mestre Com Carinho - no Traço de 85 Talentosos Cartunistas", que acaba de ser publicado pela editora Melhoramentos.
Esse livro estará em breve nas boas casas do ramo.
A obra traça um perfil biográfico do mestre Zira, nos seus 85 anos de idade e destaca e demonstra sua imensa contribuição para arte do humor gráfico brasileiro.
O projeto editorial e gráfico é do cartunista caratinguense Edra Amorim, que traz a capa assinada pelo Gê Pinto, prefácio de Zélio Alves Pinto (ambos irmãos do homenageado), apresentação do cartunista/jornalista JAL, Presidente da Associação dos Cartunistas do Brasil e, na contra capa, uma mensagem do Jô Soares ao estimado amigo de longa data.
O livro reúne, nas suas 192 páginas, um registro ilustrado da vida e obra do homenageado, intercaladas por caricaturas do tal time de 85 cartunistas relacionados abaixo:
Abel Costa, Afonso Carlos , Alan Souto Maior, Amorim, Alecrim , Alisson Affonso, Alpino, Amarildo , Andre Barroso, Cerino , André Camargo, Ariel Silva, Aroeira , Eduardo Baptistão, Bira Dantas , Biratan Porto, Brito , Camaleão , Camilo Riani, Chico Caruso, Cláudia Kfouri, Claudio Cláudio Aleixo Rocha, Claudio Duarte, Cláudio Teixeira, Dalcio Machado,Edra , Enderson Santos, Erthal, Evandro Rocha, Fábio Fabio Coutinho, Fernandes , Ferreth , Fraga , Genin , Gervásio Castro Neto, Glen Batoca, Edson Guedes, André Hippertt, Humberto Pessoa, Ique , Ivo Favero, Izânio Façanha, J.Bosco, J.J Fontinele Cartoons, Jack Cartoon, Jal , Paulo Sergio Jindelt, João Bento Jorge Braga, Jorge Inácio, Leite , Lezio Junior, Bruno Liberati, Lucas Leibholz, Manga, Mario Alberto, Maurício de Souza, Mauro Miranda, Silvano Mello, Mig, Miller Almeida, Moises Macedo, Mônica Fuchshuber, Monico Reis Art, Nei Lima, Paulo Branco , Paulo Caruso, Quinho , Rice Araujo, Flavio Rossi, Rui Miranda, António Santos, Sergio Gomes, Seri, Sidney Falcão, Eduardo Simch, Stegun , Suélen Becker, Thiago Lucas, Toscano , Omar Figueroa Turcios, Ulisses Araujo, Luciano Veronezi, William Medeiros e Xavier.
Obrigadão, amigo Edra.
Vida longa ao mestre Ziraldo!!!
(clique nas imagens para ampliar e ver melhor)

26.2.18

22.2.18

Ilustração: "o solo do açougueiro"

Do fundo do baú: ilustração feita para o old JB.
(clique na imagem para ampliar e ver melhor)

21.2.18

19.2.18

17.2.18

Aquarela: "café da manhã da cronista"

(clique na imagem para ampliar e ver melhor)

9.2.18

Mais um cartum (quase uma HQ) sensacional de João Zero

(Clique na imagem para ampliar e ver melhor)