14.9.09

Crônica da Maysa : ...E adianta conselho?


Por que a paixão tira qualquer um do eixo?
Não importa a geração, gênero, temperamento, índole ou experiência...
Você há de ouvir, ainda, por muitas vezes desabafos de pessoas próximas, sobretudo nós, as mulheres, envolvidas nessas desventuras. Sim, porque estas nos causam tristeza, são mais freqüentes que outras energias as que movem, a todos, para uma vivência apaixonada.
O poetinha já dizia: A vida é arte do encontro embora haja tanto desencontro pela vida!
No momento, uma amiga é quem me abastece de histórias.
Nem preciso da tal imaginação... sempre benvinda. O telefone toca. A caixa de entrada da correspondência, no computador, registra seus desapontamentos. Não, não são meras lamúrias de mulherzinha. São reflexões, bem interessantes, construídas de um lugar ao qual só a paixão leva.
O que dizer para essa meiga e apaixonada mulher?
Elaboro complexas e óbvias frases, tiro-as de experiências passadas. E, em matéria amorosa, poder-se-ia dizer: Vidas passadas!
Cada caso de amor vale uma vida inteira, não acham?
Então, como convencer à próxima, para não quebrar - mais uma vez - a cara?
A nossa tantas vezes transformada, pelos desígnios da paixão.
Tudo se repete, mas não é visto, nem pressentido. Quem ouve aposta no fim conhecido. O cansaço, um dia, será seu melhor amigo.
O amor também cansa de ser infeliz!
E o que é essa tal de felicidade?
Será que ela se deixa aprisionar pelos amantes afortunados?
Não sei bem, honestamente, tem dias que amanheço feliz, sem quê nem por quê!
Estar vivo, em harmonia consigo, é um dom, que pode ser achado em qualquer esquina do tempo, em qualquer situação da vida.
Também, desconfio que sem ser egoísta a felicidade é exclusivista. Não precisa andar muito, ou dar voltas no quarteirão para dar-lhe bom dia ou boa noite!
Muitas vezes, ela se apresenta, para nossa surpresa, morando quieta dentro da gente!
Então , comemore, saia por aí... Beije os amigos, os conhecidos, elogie. Sublinhe o que é de bom!
Ilustre a vida com seu afeto e sua presença!
Alguma dúvida? A felicidade é como a pluma que o vento sopra pelo ar! Voa tão leve...

Maysa


PS: O poetinha é o carioca Vinicius de Moraes, poeta e diplomata.
A frase poética é um verso da canção A FELICIDADE, de Tom Jobim e Vinicius de Moraes.

9 comentários:

Alessandra Marcia disse...

Amiga Maysa,

Obrigada por compartilhar, de maneira tão linda, sua sabedoria.
Acho mesmo que quando compreendemos que a felicidade mora dentro da gente e que a paixão é mais um complemento a ela, sobrevivemos a tudo, até mesmo a partida da paixão. Pois descobrimos que somos no final nós + o aprendizado de mais uma nova história.
Beijocas,

Alessandra

ze disse...

se todo mundo tem vida passada então todo mundo já conheceu todo mundo antes. muitas vezes antes. um clichê que serve é 'a vida não é um problema a ser resolvido mas um mistério a ser vivido'.

asiqueira disse...

Pois é Maysa, boa relexão. O que é interessante é que a paixão madura não é diferente da paixão juvenil, Nos desequilibra da mesma forma. Tinha um amigo, já com 80 que se apaixonou. Embora soubesse, pela experiênca, que estva fazendo coisas absurdas , como ficar olhando se a luz do apartamento da namorada estava acessa ou apagada e ligando em seguida para ver se ela atendia, e se não atendesse é porque estava com outro, não consegui evitá-las. Ou seja a paixão detona a experiência e nos deixa vuneráveis da mesma forma.
Faça outra para nosso deleite.

Maysa disse...

Querido Lib,

é quase um sonho experimentar essa parceria, tão insólita, da sua arte com a minha arteirice.
Bem dá frutos e flores,alegria, aquarelas, comentários nos blogs e singulares sensibilidades que vem nos dar bom dia.
Agradeço a cada um pelo gesto, pela opinião pela poesia.
Como a felicidade, ela também mora dentro da gente.
Beijos
Maysa
PS: Momentos bons só acontecem quando pessoas suaves e generosas, como o autor da aquarela e do blog, estimulam a gente.

LIBERATI disse...

Querida Maysa, você acertou no alvo com essa crônica sensível e reflexiva.
Felicidade, conceito relativo, sentimento fugidio é algo que se faz, se constrói.
Obrigado pelo afeto e a generosidade de compartilhar seu texto conosco. (falo aqui, sem pedir licença pelos outros amigos que leram e lerão sua crônica)
bjs

Maysa disse...

Querido Lib


Sua aquarela está delicada e linda! como a felicidade que Vinicius definiu na poesia.
Em ambas,estão inscritas o sentimento fugidio,o conceito relativo que só o homem constroi ou destroi...
Grata querido amigo.

Maysa

Amalia disse...

Estar vivo, em harmonia consigo, é um dom...
Disse tudo!
Linda crônica.
bjs
de Amalia

Érico Cordeiro disse...

Querida Maysa,
Nada melhor para começas uma segundona que um belo texto. E a dica é das melhores: ilustrar a vida com o afeto e a presença!
E viva o Poetinha, que definiu o que é a vida com muito acerto - que haja ainda muitos encontros em nossas vvidas.
Um fraterno abraço!

Maysa disse...

Caro Lib,
amigo e generoso dono do pedaço!
Agradeço a todos que visitando o Liberatinews, comentam nossa parceria. Que aliás, repito é um luxo prá mim!
Grata à Alessandra,Zé,Antonio Carlos, Amália,Érico pelos comentários carinhosos e de estímulo aqui deixados.
Um beijão no dono do Blog! E, em cada um dos gentis comentaristas.
Maysa