20.5.09

Crio, logo existo


(Este texto do jornalista e pesquisador Jorge Sanglard é sobre uma exposição de usuários do sistema de saúde mental de Juiz de Fora. A mostra começa a acontecer na quinta-feira , dia 20 no Centro Cultural Bernardo Mascarenhas (Av. Getúlio Vargas, 200 – Centro- Juiz de Fora - MG). A Visitação pode ser feita de terça a sexta, das 9h às 21h, e aos sábados e domingos, das 10h às 16h. A Mostra vai até o dia 7 de junho).
A experiência da criatividade possibilita outros vôos. Plenos vôos. Vivenciar o processo criativo e romper limites da existência são grandes desafios. Um exemplo de rompimento de limites e de arte incomum, Artur Bispo do Rosário, anunciou: "Os loucos são como os beija-flores. Estão sempre a dois metros do chão”. Interligando a reforma psiquiátrica à criação e à cidadania, um novo olhar vem se lançando sobre obras realizadas por usuários do sistema de saúde mental.
Nestes novos tempos, ao aprofundar o mergulho em novas práticas, lançando mão do potencial criativo de seus freqüentadores, serviços substitutivos ao antigo modelo de tratamento apostam na mudança e colhem resultados positivos. Sem negar o sofrimento, mas incorporando a noção de cidadão e trabalhando com a subjetividade, uma nova perspectiva ganha força em Juiz de Fora, em Minas Gerais e no Brasil. E expressões criativas surgem, aflorando a arte de onde só se enxergava a exclusão, o medo e a loucura.
Aos poucos, um mero ato espontâneo de pintar ou desenhar ganha a forma expressiva de comunicação de sentidos. Pouco importa se é considerado arte ou não-arte. É muito mais que isso. É um ato de construção de cidadania, de inclusão de cidadãos, antes excluídos e marginalizados. E o melhor, ao abrir novos horizontes, lança mão da inventividade e da criatividade e ajuda a mudar a realidade desses cidadãos.
Cores e formas, muitas vezes inquietantes e perturbadoras, revelam um novo percurso dos que ousaram transitar entre o real e o imaginário na articulação de uma expressividade, de uma afirmação de vida. Estas imagens pictóricas aqui reunidas são formas visuais construídas para um encontro com o outro e a compreensão de si mesmo. São obras que testemunham e revelam o sofrimento e a alegria, a angústia e a esperança.
Assim, usuários do Centro de Atenção Psicossocial (Caps) Casa Viva e do Centro de Convivência Recrear, em Juiz de Fora (MG) apresentam seu universo interior na exposição “Crio, logo existo”, que será aberta nesta quinta-feira (20/05), às 20h, no Centro Cultural Bernardo Mascarenhas (CCBM), em Juíza de Fora, encerrando a programação do Dia Nacional de Luta Antimanicomial, comemorado na última segunda-feira.
A mostra reúne cerca de 70 pinturas, entre trabalhos recentes dos usuários e também uma retrospectiva de obras premiadas, a exemplo de “Homem com cara de gato”, de Isaías, que conquistou menção honrosa no concurso Arte de Viver, em 2001, e já foi exposta em Paris, na França. Na edição do concurso no ano passado, “O amor riu de mim”, de Alceu, foi premiado em segundo lugar.
(NR: A ilustração deste "post" é a pintura de Isaías - "O homem com cara de gato" que foi citada no texto)

6 comentários:

Sizenando disse...

gostaria de ver o "o amor riu de mim". o cara de gato é muito bonito.

Ed disse...

Muito boa a postagem e especialmente para mim. Eu, em 2005, ministrei oficinas de "Literatura" (na verdade, produção de textos) e Teatro para os usuários do Centro de Convivência Cézar Campos. Uma experiência inesquecível. Devido à burocracia da prefeitura, fui "tirado" de lá, pois consideraram que estava em grande desvio de função, já que sou da educação. Oras, se lá eu tb estava dando aulas... não dá para entender, mas... Neste último 18 de maio, claro, fui para o desfile da Luta Antimanicomial daqui de BH. Reencontrei todos e para a minha surpresa, não só se lembraram de mim, como continuaram perguntando quando eu voltaria. Menina, que saudades e que dor, pois gostaria de estar lá até hoje. Mas fazer o que? Já tentamos de tudo, mas a Sec. é resistente... :( Beijão.

LIBERATI disse...

Caríssimo Sizenando, vou pedir ao Sanglard para mandar a tela "o amor riu de mim"
grande abraço

LIBERATI disse...

Creio que Ed está comentando algo para Tinê ler. Vou encaminhar o post para ela em e-mail
abraços

TS disse...

Caro Liberati, realmt/ eu indiquei este post p/ algs conhecidos, mas o comenta do ED tb serve p/todos q lerem este espaço.
Obrigada por me dar um toque deste comenta, já q estou fora do perímetro urbano.
Tb gostaria de ver o desenho "o amor riu de mim", queria saber se tem algo a ver c/ um outro desenho q conheço, "copacabana me enganou".
Estou às voltas c/ txts gdes, desculpe a falta de tempo.
Bjj.

LIBERATI disse...

Querida Tinê, Jorge Sanglard me escreveu dizendo que vai tentar achar a tela.
Vamos aguardar
bjs